O papel principal da coluna vertebral é oferecer proteção da medula espinal, movimentação e marcha, manutenção da postura ereta, conexão entre o osso occipital (parte posterior do crânio) e o sacro (osso localizado na base da coluna vertebral), e suporte do peso corporal.

Constituída por 33 vértebras: sete cervicais, doze torácicas, cinco lombares, cinco sacrais e quatro coccígeas, sendo móveis entre si, proporcionam flexibilidade à coluna. As estruturas ligamentares e osteomusculares são responsáveis pela estabilidade da coluna vertebral.

A coluna vertebral do adulto apresenta quatro curvaturas fisiológicas: lordose cervical, cifose torácica, lordose lombar e cifose sacral. As curvaturas são essenciais para a distribuição do peso e das forças compressivas, evitando a sobrecarga de áreas específicas. O desvio de uma região da coluna vertebral resulta em desvio em outra região para compensar e manter o equilíbrio, portanto, é necessário haver flexibilidade e equilíbrio na coluna vertebral para suportar os efeitos da gravidade e de outras forças externas.

Os movimentos da coluna vertebral são: flexão (inclinação para frente), extensão (inclinação para trás), flexão lateral para direita ou esquerda (inclinação lateral) e rotação para a direita ou esquerda.

Em relação ao tratamento da região da coluna vertebral, é preciso identificar as relações funcionais complexas entre as estruturas presentes neste segmento corporal, e correlacionar o exame clínico e a avaliação inicial às queixas de dor e limitação funcional. O fisioterapeuta precisa definir o que é uma atividade considerada segura durante o processo de regeneração e reabilitação, já que o principal fator complicador na coluna é sua proximidade com as estruturas essenciais da medula espinal e de raízes nervosas.

Com o conhecimento da cinesiologia, biomecânica e das restrições quanto às patologias apresentadas nas estruturas vertebrais, o fisioterapeuta pode estabelecer movimentos fisioterapêuticos específicos, que não prejudicarão e que sejam efetivos na recuperação inicial, no retorno funcional às atividades de vida diária, tanto profissionais quanto esportivas, assim como na prevenção de futuras lesões.

Lesões frequentes na região da coluna vertebral:

  • Lesões musculares e ligamentares
  • Degenerações discais, protrusões discais e hérnias discais
  • Fraturas : por extensão, por compressão e fraturas-luxação
  • Espondilólise e espondilolistese
  • Alterações posturais

 

Recursos fisioterapêuticos utilizados da coluna vertebral:

  • Eletroestimulação nervosa transcutânea e eletroestimulação funcional;
  • Terapias manuais;
  • Eletrotermofototerapia;
  • Cinesioterapia;
  • Fortalecimento do CORE;
  • Estabilização central e segmentar;
  • Mecanoterapia;
  • Treinamento sensório-motor;
  • Aplicabilidade dos exercícios fisioterapêuticos relacionados aos gestos esportivos.