A articulação do joelho funciona como uma dobradiça, tendo dois meniscos interpostos suportados por músculos e ligamentos, podendo ser considerada como uma unidade funcional primária nas atividades de andar, sentar, subir e descer escadas, sendo o joelho projetado para promoção da mobilidade e estabilidade, formando juntamente com o quadril e tornozelo o suporte para que o corpo fique na posição em pé.

As estruturas responsáveis pela estabilidade articular do joelho podem ser divididas em estabilizadores dinâmicos como é o caso das unidades musculotendíneas e em estabilizadores estáticos que são os ligamentos, meniscos e estruturas ósseas.

IREP Fisioterapia Esportiva-2

Reabilitação do joelho

Atualmente, com a crescente procura e interesse pela prática de atividades esportivas associadas à complexidade anatômica do joelho, nota-se aumento na ocorrência de lesões ligamentares, musculares e ósseas.

Por fim, o conhecimento anatômico normal e patológico, a função articular e a propedêutica são essenciais para realizar um diagnóstico correto e elaborar os programas de tratamento de forma que sejam precisos e efetivos na melhora do desempenho articular.

Lesões frequentes na região do joelho:

  • Lesões meniscais e ligamentares;
  • Síndrome Femoropatelar;
  • Tendinopatias

Recursos fisioterapêuticos utilizados na reabilitação do joelho:

  • Eletroestimulação nervosa transcutânea (TENS) e eletroestimulação funcional (FES);
  • Terapias manuais;
  • Ultra-som terapêutico;
  • Laser;
  • Calor superficial e profundo;
  • Crioterapia;
  • Cinesioterapia;
  • Fortalecimento do CORE;
  • Estabilização central e segmentar;
  • Mecanoterapia;
  • Treinamento sensório-motor;
  • Aplicabilidade dos exercícios fisioterapêuticos relacionados aos gestos esportivos.