O quadril, assim como o ombro, consiste em uma articulação triaxial que é capaz de realizar movimentos nos três eixos, mantendo o formato de bola e soquete (esferóidea).

Essa articulação suporta-se por uma cápsula articular forte que é reforçada por estruturas ligamentares(iliofemoral, pubofemoral e isquiofemoral), sendo uma articulação estável feita para suportar cargas e o peso da cabeça, tronco e dos membros superiores.

Também é capaz de transmitir as forças oriundas dos membros inferiores para cima por meio dos quadris até a pelve e o tronco durante a marcha e outras atividades que envolvam estes membros.

Desde a avaliação inicial, é fundamental conhecer toda a biomecânica do quadril, além do funcionamento dessa articulação nas atividades desenvolvidas pelo indivíduo em questão, além de realizar a anamnese e o exame físico minucioso a fim de detectar todas as alterações patológicas presentes na articulação do quadril do paciente.

Lesões frequentes na região do quadril:

  • – Lesões musculotendíneas, musculares e bursites;
  • – Fraturas;
  • – Pubeíte;
  • – Lesão do lábio acetabular;

 

Recursos fisioterapêuticos utilizados na reabilitação do quadril:

  • – Eletroestimulação nervosa transcutânea e eletroestimulação funcional;
  • – Terapias manuais;
  • – Ultra-som terapêutico;
  • – Laser;
  • – Calor superficial e profundo;
  • – Crioterapia;
  • – Cinesioterapia;
  • – Fortalecimento do CORE;
  • – Estabilização central e segmentar;
  • – Mecanoterapia;
  • – Treinamento sensório-motor;
  • – Aplicabilidade dos exercícios fisioterapêuticos relacionados aos gestos esportivos.