O sistema ósteo-articular, ligamentar e muscular do tornozelo e do pé provém a estabilidade e mobilidade às estruturas distais do membro inferior, sendo capaz de suportar o peso corporal durante a bipedestação (ato de manter-se ereto em ambos os pés). Absorvem forças e através de uma alavanca estrutural rígida possibilita a propulsão do corpo à frente durante a marcha.

O pé divide-se em três segmentos: retropé (segmento posterior), mediopé (segmento mediano) e antepé (segmento anterior).

A movimentação do complexo tornozelo e pé divide-se em planos de movimentos primários e triplanares. Os primários são: dorsiflexão ou flexão do tornozelo, flexão plantar ou extensão de tornozelo, a inversão (rodar o pé para dentro), a eversão (rodar o pé para fora), e a abdução e adução que no caso do pé, ocorrem em torno de um eixo vertical. A movimentação triplanar ocorre em torno de eixos oblíquos, sendo a pronação (combinação de dorsiflexão, eversão e abdução) e a supinação (combinação de flexão plantar, inversão e adução).

A anatomia e a cinesiologia complexa da articulação do tornozelo e do pé faz com que o profissional que venha realizar o processo de reabilitação desse complexo articular, tenhao vasto conhecimento dessa região, permitindo um tratamento funcional e efetivo para seus pacientes.

Lesões frequentes na região do tornozelo e pé:

  • Lesões articulares, tendíneas e ligamentares;
  • Lesões nervosas;
  • Outras causas (p.ex: deficiência de propriocepção).

 

Recursos fisioterapêuticos utilizados na reabilitação do tornozelo e pé:

  • Eletroestimulação nervosa transcutânea (TENS) e eletroestimulação funcional (FES);
  • Terapias manuais;
  • Ultra-som terapêutico;
  • Laser;
  • Calor superficial e profundo;
  • Crioterapia;
  • Cinesioterapia;
  • Estabilização central e segmentar;
  • Treinamento sensório-motor;
  • Aplicabilidade dos exercícios fisioterapêuticos relacionados aos gestos esportivos.