Hoje a prática esportiva está em evidência, e cada vez mais, novos adeptos surgem e claro, muitas vezes sem as devidas orientações podendo vir a sofrerem lesões articulares. Assim como os iniciantes, indivíduos já treinados e ativos competitivamente também vêm apresentando aumento no número de lesões, possivelmente, na tentativa de resultados melhores e novos objetivos, o que sobrecarrega as articulações quando não há o acompanhamento devido.

Dentro da prática esportiva, a articulação do joelho mostra-se susceptível a lesões, sendo o comprometimento do menisco, uma das lesões mais frequentes no joelho.

Os meniscos são estruturas fibrocartilaginosas em formato de meia-lua que estão situados entre o fêmur e a tíbia, sendo um medial e outro lateral.

A lesão meniscal dá-se muitas vezes devido a movimentos de entorse no joelho ou por processos degenerativos que acabam por fragilizar essa estrutura. A dor, bloqueio da movimentação e perda de confiança no joelho são sintomas e queixas de pacientes lesionados.

Em relação à fisioterapia, dependerá da gravidade da lesão, podendo tentar-se inicialmente o tratamento conservador (não-cirúrgico) para alívio de dor, ganho de força muscular, manutenção da amplitude de movimento, melhora da estabilidade articular e possível retorno às atividades físicas. No entanto, caso o conservador não obtenha sucesso ou a lesão seja extensa, opta-se pela intervenção cirúrgicapor meio de artroscopia, assim, a fisioterapia pós-operatória objetivará:

– Alívio de dor e controle do processo inflamatório;

– Ganho de amplitude de movimento e força muscular

– Melhora da estabilidade articular

– Retorno às atividades esportivas no nível pré-lesão

 

Por Luis Felipe Minechelli