Aumenta o número de lesões no joelho provocadas pela prática esportiva

Início precoce é um dos principais fatores responsáveis; médico especialista calcula que triplicou o número de cirurgias de joelho em mulheres

Nos últimos anos vem aumentando o número de brasileiros conscientes de que praticar atividades físicas traz benefícios imediatos (aumentam o bem-estar e facilitam a socialização, por exemplo) e futuros, que fazem com que a pessoa viva mais e melhor quando chegar à terceira idade. “É comum que a prática comece ainda na infância, com esportes como futebol ou vôlei, e prossiga durante a vida adulta em modalidades como corridas de rua e ginástica em academias”, avalia o ortopedista Ari Zekcer, especialista em medicina esportiva e cirurgião do joelho. Mas isso tem um lado negativo: aumentou também o número de lesões entre esses atletas.

A prática de esportes competitivos tem sido iniciada cada vez mais precocemente, e a exigência por bons resultados tornou-se cada vez mais intensa. “Isso acaba gerando o excesso de treinamentos, que causa lesões por sobrecarga nos ossos e tendões, como fraturas por stress e rupturas de ligamentos”, explica o médico. O número de lesões de ligamento cruzado em crianças e, principalmente, em adolescentes, aumentou em virtude desses fatores. São cada vez mais comuns as cirurgias em jovens que lesionaram os ligamentos e meniscos dos joelhos.

A maior adesão das mulheres aos esportes de contato e competições como as de futebol, por exemplo, também fez crescer o número de problemas no joelho. “Há 15 anos fazíamos a reconstrução de ligamentos dos joelhos em uma proporção de 3 mulheres para cada 100 homens. Hoje, esse número alcança a marca de 10 a 15 mulheres para cada 100 homens”, calcula o médico.

No futebol profissional masculino, o número maior de treinos e o aumento do número de jogos tem causado o aumento da massa muscular dos atletas, o que resulta em partidas mais disputadas que, justamente por isso, provocam mais lesões. Como as técnicas cirúrgicas estão mais modernas, propiciam uma recuperação bem mais rápida. Antes, a alternativa era somente uma: afastar-se dos gramados.