Consiste no extravasamento do conteúdo do interior do disco (núcleo pulposo), através da camada externa do disco (ânulo fibroso). Pode ocorrer em qualquer local da coluna vertebral, porém sua maior incidência é na coluna lombar.

O quadro clínico da hérnia de disco lombar normalmente inicia como lombalgia (dor lombar localizada), evoluindo para lombociatalgia (dor lombar com irradiação para os MMII). Associado pode ocorrer as parestesias (sensação de formigamento), perda de força e de sensibilidade.

Suas causas variam desde má postura, esforços decorrentes de atividades físicas inadequadas, excesso de carga, obesidade e até predisposição genética.

Em geral as hérnias são posteriores ou póstero-laterais e acometem mais as pessoas com retificação lombar, que pela alteração da curvatura possuem um aumento da força compressiva sobre as vértebras e maior tensão do ligamento longitudinal posterior (LLP). As hérnias lombares podem ser identificadas pelo sinal de Lasegue, onde se realiza a elevação lenta e progressiva da perna com os joelhos estendidos, estando o indivíduo em decúbito dorsal. O sinal caracteriza-se positivo se a dor surgir até um ângulo de 60 graus. O sinal positivo é sugestivo de uma hérnia com compressão radicular.

O diagnóstico final depende do exame clínico e laboratorial. A escolha do tratamento, se cirúrgico ou não, considera a gravidade dos sintomas e o déficit motor. A cirurgia só é indicada quando o paciente não responde ao tratamento conservador, o que corresponde a 5% dos casos.

O tratamento conservador consiste em analgesia com o uso de antiinflamatórios e fisioterapia como o RPG e o PILATES, que atualmente está sendo muito indicado.

O pilates tem gerado excelentes resultados devido a estimulação intensa dos músculos associados ao centro de força do corpo que sustentam nossa coluna conhecido como powerhouse (reto do abdômen, os oblíquos internos e externos, transverso do abdômen, glúteos máximo, períneo, grande dorsal e quadrado lombar). Esses grupos musculares absorvem grande parte do impacto, estabilizando, sobretudo as articulações da coluna, além de restabelecer os espaços intervertebrais através do fortalecimento e alongamento, resultando em uma maior proteção dos discos intervertebrais e alinhamento da postura adequada. Desta forma, os sintomas que tanto incomodam tem uma melhora significativa, possibilitando as praticas das atividades da vida diária e profissional de forma satisfatória e segura.