Escolhemos a escoliose como a patologia para ser esplanada com mais cautela, por ser uma das principais causas de procura do paciente pelo tratamento da RPG.

Escoliose é uma deformação morfológica tridimensional da coluna vertebral, em outras palavras, um deslocamento lateral da coluna associado a uma rotação vertebral e uma diminuição da cifose torácica.

A faixa etária mais acometida é entre os 10 e 18 anos, com maior incidência no sexo feminino. Normalmente não há dor nessa faixa etária, podendo vir a ocorrer na fase adulta.

Suas causas são variadas, podendo ser desde uma escoliose congênita (o recém-nascido por algum motivo já nasce com a deformidade), escoliose neuromuscular (decorrente de fator neuromuscular), escolioses antálgicas (desencadeada pelo mecanismo de defesa do nosso organismo que é sempre de compensar alguma dor) até uma atitude escoliótica (não tem a escoliose, mas apresenta seus sintomas). Independente da causa, a escoliose deve-se sempre a uma retração assimétrica dos músculos espinhais.

O tratamento varia do uso de coletes, fisioterapia e cirúrgico, sendo que os fatores determinantes são a idade do paciente, grau de evolução da escoliose e sua causa. Se optar pela fisioterapia, o tratamento mais indicado é a RPG, onde o paciente inicialmente será submetido a uma minuciosa avaliação funcional, radiológico e estético, e posteriormente é traçado uma linha de tratamento.

Na RPG trabalhamos famílias de posturas, sendo que as posturas em decúbito permitem melhor modelagem manual do fisioterapeuta, já as posturas em carga permitem maior participação do paciente. Sendo assim é desejável, durante a mesma sessão, associar uma postura em decúbito a uma em carga, porém tudo depende do exame prévio. Nessas posturas é realizado um trabalho respiratório, alinhamento corporal, equilíbrio de tensões musculares com reposicionamento de vértebras através das manobras, desenvolvimento da consciência corporal e equilíbrio. A participação do paciente durante todo o processo torna-se fundamental.

Atualmente muitos pediatras já encaminham seus pacientes para o tratamento com o RPG quando observam alguma alteração postural, quanto mais cedo detectado e iniciado o tratamento, melhores são os resultados. Por isso, sempre acompanhe suas crianças e adolescentes. Observe como se sentam, deitam, se as roupas estão alinhadas ao corpo, se estão praticando alguma atividade física de forma correta e orientada. Ao menor sinal não hesite, procure logo um ortopedista.